Arte2 Os dias

OS DIAS

O filme “O paciente inglês” começa mostrando um quadro e sugerindo que, às vezes, pode-se ver, através de uma pintura, as marcas do que ela foi antes do pintor se arrepender e repintá-la.

Funciona mais ou menos assim. Os trabalhos de que não gosto raramente vão pro lixo.

Um dia qualquer, os retomo. Quando esse dia chega, eu sei… Nesta madrugada, cortei em pedaços uma pintura emperrada num papel de grande formato e, a partir deles, produzi vinte míni obras.

As marcas anteriores funcionaram como um start e pareceu fácil recriar sobre elas.

Nem sempre é assim. Essa reciclagem também pode ser desanimadora. Nesse caso, são obras que vão pra nova quarentena. Ou pro lixo. Esse dia parece perdido. Mas é apenas mais um dia no atelier…

Imagino que você também tem dias de grandes projetos e dias de projetos bem pequenininhos, será?

Deixar uma Resposta

2 comentários

  1. Com meus “escritos” funciona do mesmo jeito, guardo, guardo, um dia repenso, refaço e uso!