BOBICE  #1

Arrepender-se de uma compra pessoal é comum. E lamentar-se por não ter comprado, você já?

Não domino a técnica de apertar certo o botão compro/não compro.

Quando erro pra menos, não adianta depois correr atrás: não tem mais, ou acabou a promoção, ou saiu de linha; a loja chega a fechar, imagine você, pra impedir o acesso ao meu objeto de desejo rs…

É o caso desse parzinho minimalista acima (qualquer um deles), na Takashimaya de Nova York, loja com artigos selecionados da estética ocidental e oriental. Que não comprei porque, na hora, fui freada por aquela vozinha interior: “pára, você pode viver sem essa bobice”. Quem é que, em sã consciência, viajando, vai querer comprar sapatinhos de dormir? Pfff…

Bobice, aham… cheguei a sonhar com essa bobice nos pés, em lãzinha macia, fazendo pluft pluft pela casa…

Não podia ser outro par, de outro lugar?, afinal, em se tratando de sapatinhos de dormir, os modelos se parecem… Não, não podia.

Quando pintou a oportunidade de voltar lá, não é que, depois de funcionar por 52 anos na Quinta Avenida, a Takashimaya fechou?

Isso faz mais de dois anos. Desde então, Takashimaya só em Singapura e no Japão. Aham…

Tá, tô com um outro par nos pés. Não gosto nem do ploft ploft que ele faz… Bom, quem sabe talvez um da Muji, que seleciona rigorosamente os produtos de eco design que vende, mas não expõe marca nenhuma, é tudo limpo, simples.

Aposto que um parzinho da Muji pode fazer pluft pluft. Nem que eu tenha que esganar aquela vozinha interior.

Foto: Takashimaya  www.takashimaya.co.jp;  www.muji.com

SILLINESS  #1

To regret a personal shopping is common. And whining for not having bought, have you already done?

I don’t master the technique of pressing the right button buy/not buy.

When I make a mistake to less, it’s no worth to run after: there isn’t any more, or the sale just ended, or has been discontinued; the store is even got close, mind you, to hind the access to my desire object…

It’s the case of this little minimalist couple above (any of them), from Takashimaya in New York, shop with selected Western and Eastern aesthetic items. That I didn’t buy because, at the time, was curbed by that inner voice, “stop, you can live without this silliness.”

Silliness, aham … I came even got to dream of this silliness on feet, soft wool, making pluft pluft at home…

Couldn’t it be another pair in another place?, after all, it’s about sleeping shoes, the models look like each other… No, it couldn’t.

When it came up the opportunity to go back there, isn’t that, after working for 52 years on Fifth Avenue, Takashimaya has closed?

That is more than two years. Since then, Takashimaya only in Singapore and Japan. Aham…

Yeah, I’m with another couple on feet. I don’t even like the plop plop it does … Well, who knows maybe one of Muji, which sells rigorously selects ecological design products, but doesn’t expose any brand, everything is clean, simple.

I bet that a couple by Muji can do pluft pluft. Even if I have to choke that my inside little voice.

Photo: Takashimaya www.takashimaya.co.jp; www.muji.com

Deixar uma Resposta

1 comentário

  1. Ana Paula Menezes

    São lindinhos *.*
    Isso acontece comigo muitas vezes =/
    Quando volto ao lugar, já acabou oq eu queria =/